Top

Vale de Khumbu e Campo Base do Everest

Datas
Nomes*
Apelido*
Morada completa
Código Postal / CEP*
Idade
Profissão
Telemóvel
Email*
Escolha uma opção*
Nº de adultos (+ nº de crianças)*
Caso viaje com amigos por favor indique com quem irá partilhar o alojamento:
Como conheceu o Rotas do Vento?
Subscreva a newsletter:*
Comentários:
Guardar nos favoritos

Adding item to wishlist requires an account

144
Newsletter Rotas do VentoSubscreva e fique a par de novas aventuras
10 Reviews
Sort By:RatingData

Diogo Allegro, Lisboa

Solo Traveller

A viagem foi espetacular!
Correu tudo muito bem, a organização foi impecável, não só da sua parte com todas as marcações, mas também da equipa local, que não teve nada a apontar.
O Guia era excelente, muito atencioso e agradável. A caminhada foi exigente…, mas muito tranquila. A montanha é enorme… sem palavras… todo o percurso é muito bonito!
O tempo estava excelente, com sol praticamente todos os dias.
Não tenho nada a apontar em relação à viagem. Tudo correu muito bem. A agencia local foi tambem bastante proactiva e atenciosa.
Acho que é uma viagem longa, mas muito bem equilibrada em termos de percurso/duração.
Só me resta agradecer a si e a todos os envolvidos pela experiência proporcionada.

Março 1, 2019

Manuel Oliveira, Porto

Solo Traveller

Já tive oportunidade de viajar por diferentes locais remotos do mundo e posso dizer que no Khumbu encontrei o povo Sherpa que sem dúvida alguma foi o povo que mais me surpreendeu! Um povo que vive em condições ambientes e económicas difíceis mas que sempre cumpre um trabalho extremamente árduo com brio e responsabilidade e sempre com sorriso na cara!
Nesta região destaco igualmente a dificil caminhada a que nos sujeitamos e que penso que será uma boa prova para a quem quiser testar os seus limites físicos, o que, associado a paisagens majestosas tornou-se na viagem perfeita para mim!
Recomento vivamente esta viagem que para sempre ficará na memória de quem a fizer!
Bem sei que não é nada fácil organizar este tipo de viagens e que há sempre pormenores que não correm tão bem, mas no balanço final acho que estão de parabéns!

Março 1, 2019

Filipe Costa, Lisboa

Solo Traveller

Passar 3 semanas num país tão distante e exótico como é o Nepal tem como principal vantagem o contacto muito mais profundo com o seu povo, cultura e civilização, que são fascinantes por serem tão diferentes da nossa;
Outro aspecto particularmente positivo foi toda a beleza natural que sempre nos acompanhou, designadamente durante o Trekking no vale de Khumbu, com paisagens de montanha indescritiveis, que devem tornar aquela região dos Himalaias numa das mais belas do planeta;
Por fim, um terceiro aspecto prende-se com a liberdade de circulação e a segurança que sempre se sentiu durante todo o trajecto (incluindo Katmandu), um factor muito importante para quem gosta de viajar.

Entre os aspectos negativos, destaco o factor imprevisivel do tempo metereologico, já que nos locais de maior altitude apanhou-se mau tempo, o que nos impediu de ir até ao Kala Pattar, um dos sitios que aguardava com mais expectativa;
Por fim, houve aldeias pelas quais passámos que existiam apenas em função dos turistas, ao passo que outras eram mesmo aldeias sherpa, cheias de pontos de interesse, onde éramos praticamente os únicos turistas por lá (como Khumjung, por exemplo). Gostaria de ter visitado mais aldeias desse género.
Infelizmente, também tenho de dar nota negativa ao guia de montanha, muito pouco comunicativo.

A comida é muito boa, e felizmente não me causou nenhuma complicação ao nível da saúde. É pena ser cara nas zonas de maior altitude, especialmente a água. A beleza natural, como já referi antes, foi um dos pontos que mais me encantou nesta viagem, assim como o exotismo da cultura nativa.
Em alguns troços do percurso a dificuldade física foi mais acentuada, mas caminhando ao nosso ritmo e apreciando a paisagem, mesmo as subidas mais íngremes ficam ao nosso alcance.
Regra geral fomos sempre recebidos e tratados com toda a simpatia e cortesia por todos os habitantes locais.
O nosso grupo era curto mas para mim foi a dimensão ideal pois permitiu conhecermo-nos muito melhor, e o espirito de companheirismo foi excepcional. O tempo esteve bom na maior parte das vezes, apenas um pouco instável em maior altitude, que, como referi, atrapalhou um pouco os planos da viagem.
O sentimento de segurança foi uma constante, portanto, nota 5 para esse aspecto também.

A paisagem foi 5 estrelas, no entanto deixo uma nota mais modesta para o estado de conservação da Natureza, pois infelizmente vê-se alguma poluição nos solos, com grandes acumulações de lixo. Em Katmandu, naturalmente, as proporções da poluição são muito maiores.
Encontrámos um ambiente relativamente sereno, pois enquanto estivémos na montanha falava-se de uma greve geral em Katmandu por tempo indeterminado susceptivel de afectar alguns voos internacionais. Felizmente, quando regressámos à capital, o ambiente já estava normalizado, e assim se manteve até ao fim.
Como sugestão, deixo a ideia já aflorada anteriormente, de se organizar, dentro do possível, um percurso com passagem por aldeias sherpa mais características em detrimento de outras que só existam em função dos turistas. Por exemplo, se fosse viável, era interessante pernoitar mais um dia em Khunjung (uma vez na fase da subida e outra na descida).

A viagem foi sem dúvida a mais duradoura que ja fiz, e dificilmente daria para se prolongar ainda mais. Mas nao nego que à saida sentia vontade de lá ficar mais uns dias a conhecer certas zonas, pois o Nepal é um belissimo país. Senti talvez que o tempo passado em Katmandu foi escasso.

Esta viagem ao vale de Khumbu foi a grande viagem de aventura da minha vida. Consegue reunir em si uma beleza e diversidade paisagística muito grande, o conhecimento profundo de um país e sobretudo de uma cultura e civilização bastante diferentes da nossa, e a hospitalidade e simpatia sem limites de um povo humilde mas extremamente amável. Foram três semanas muito gratificantes e bem passadas, onde mesmo o cansaço físico das longas caminhadas que enfrentamos é superado por tudo aquilo que ficamos a conhecer, por tudo o que presenciamos, por tudo o que damos e principalmente recebemos. Senti que voltei renovado desta viagem e só por isso, já sei que valeu a pena viajar.

Março 1, 2019

Daniel R, Braga

Solo Traveller

Face à perspectiva inicial de passar umas férias despreocupadas, mas activas, esta viagem resultou espectacularmente!
Depois, mesmo com um programa pré-estabelecido, senti alguma “liberdade de movimentos”, o que é fundamental para mim.
Finalmente, acho que também tive sorte com os companheiros de viagem.
Penso que as respostas que dei no questionário, até aqui, já transmitem a minha apreciação positiva.
Logo no início, no livro que a Rotas do Vento sugeriu nas informações de viagem, diziam:
“Tintim: Magníficas férias, hein, Milú?
Milú: Ele chama a isto férias!… correr de manhã à noite, sobre calhaus pontiagudos!… Mas ele tem uns valentes sapatos ferrados, enquanto eu… se isto continua, fico sem patas!…” (in Tintim no Tibete).
Naturalmente que aqui visto a pele do Tintim!
Escrevi algumas impressões do que senti/vivi juntamente com fotografias para mostrar aos amigos no meu album.
Podem ver também!

Março 1, 2019

Luis L, Porto

Solo Traveller

A viagem correu muito bem, o grupo era bestial!
Tive alguns problemas com a altitude (para mim era novidade!) e alimentação, mas foram ultrapassados.
O cenário é deslumbrante e a parte fisica muito interessante! Vim em forma!

Março 1, 2019
12