Top

Na Rota de Lhasa

Datas
Nomes*
Apelido*
Morada completa
Código Postal / CEP*
Idade
Profissão
Telemóvel
Email*
Escolha uma opção*
Nº de adultos (+ nº de crianças)*
Caso viaje com amigos por favor indique com quem irá partilhar o alojamento:
Como conheceu o Rotas do Vento?
Subscreva a newsletter:*
Comentários:
Guardar nos favoritos

Adding item to wishlist requires an account

506
16 Reviews
Sort By:RatingData

Isabel Alberto, Coimbra

Solo Traveller

Gostei imenso desta viagem; será uma memória linda para a vida (com agridoce, desvendando uma realidade invisível para nós bem instalados, mas não posso esclarecer mais!); um povo que sabe sorrir, rir, um exemplo de vida. Tive a sorte de conseguir ver o Everest apesar do tempo não ser favorável, e até vimos um abutre, a uns 5 metros de nós, ainda no Tibete, quando íamos para a fronteira. A estrada de Trishuli foi um rally fantástico (o motorista nepalês era muito fiável, por isso o que podia ser inseguro transformou-se em aventura. Levámos 5 horas a fazer algo que leva 2 horas, porque tinha chovido imenso). Aproveitei esse tempo para ver a paisagem, o dia-a-dia do povo nepalês fora da cidade, de aprender mais sobre história do Nepal e sobre o Hinduismo e Budismo com o guia que nos acompanhou desde a fronteira até Katmandu.
Neste momento ainda estou de “ressaca” (boa) e quero continuar a relembrar esta viagem, por isso não consigo pensar para o futuro…
Muitas das paisagens por onde passámos foram uma surpresa para mim, até me esquecia que estava acima dos 4000m porque os vales são tão extensos que os campos podiam ser a 400m de altitude. Depois porque estando atentos vemos as surpresas, por exemplo, o abutre. Eu nem acreditava que seria selvagem, mas era, estava a descansar ali! Ou eu estar a ler no quarto da guest house em rongbuk e ouvir respirar à janela. Puxei a cortina e lá estavam dois yaks curiosos, 1º tirei a foto com a janela fechada para não fugirem, depois abri a janela (não fugiram) e estive na “conversa” com eles. Nessa sequência reparei que tinha uma vista de milhões da janela do “meu quarto”, pois via o vale e ao fundo o Everest, e numa janela de tempo curta de céu sem nuvens via-se em todo o seu esplendor. Várias pessoas a quem enviei fotos estão muito entusiasmadas com esta viagem, e eu envie-lhes o site da rota dos ventos, mas muitas vezes o pessoal fica na inércia, o que é uma pena.
Muito obrigada por proporcionar este tipo de experiências. No meu contacto com o casal catalão também fui partilhando com eles informação que o Gonçalo me tinha dado. A partir de uma dada altura, perguntavam-me: O Gonçalo deu-te alguma dica sobre isto…? porque eu ia prevenida sobre tópicos vários muito úteis que eles não tinham.
Muito obrigada por tudo e pelo seu profissionalismo.

Setembro 14, 2019

Maria Luisa Santos, Bruxelas

Solo Traveller

Foi uma excelente experência que me permitiu relaxar completamente. Como não havia muitos turistas e as culturas são completamente diferentes, temos mais a sensação de cortar com o quotidiano e de descansar sobretudo a mente.

Outubro 15, 2018

Maria Paula Marques, Coimbra

Solo Traveller

Os pontos altos da fantástica expedição ao Tibete para mim foram: Rongbuk, principalmente observar calmamente a vida da aldeia e ter tido o privilégio de ter visto o imponente Qomolungma sair literalmente das nuvens para mim! e o mosteiro de Sakya e a sua maravilhosa biblioteca.

Março 1, 2018

Andrea Silveira, São Paulo

Solo Traveller

Nos dois itinerários não houve nada que interferisse negativamente na viagem. Tudo muito bem organizado, com guias excelentes, locais visitados bem escolhidos, tratamento personalizado e com muita sensibilidade por parte dos guias. No transiberiano fiquei com um grupo muito divertido e harmonioso, podendo estabelecer uma ótima comunicação com todos e fazer novas amizades.
O itinerário do Transiberiano foi impecável em todos os aspectos. Quanto ao itinerário do Tibet/Nepal, teria sido mais interessante dispensar um número maior de dias. Foi pena eu não ter tido mais disponibilidade para conhecer outros locais em cada um desses países, em especial no Nepal.
De qualquer maneira, aproveitei todas as oportunidades e fiquei encantada com tudo.
Flora e fauna não foram o meu foco, então não dediquei muita atenção a esses aspectos. Mas, de maneira geral, me encantei com a paisagem. Difícil dizer com qual região me identifiquei mais. Por outro lado, a cultura tibetana e nepalesa me atraem muito em função da prática do budismo, então me envolvi muito mais com as explicações dos guias nesses outros destinos.
Foi a primeira vez que viajei através da Rotas do Vento e fiquei super satisfeita com tudo. Mesmo sem conhecer esta agência, em nenhum momento fiquei preocupada com a organização dos programas, pois o tempo todo recebia informações sobre o andamento das providências. Toda a comunicação foi clara, precisa e ágil. Também gostei muito da flexibilidade quanto a forma de pagamento, pois morando no Brasil a adaptação da via de pagamento facilitou em muito.
As operadoras parceiras da Rotas do Vento foram igualmente impecáveis, oferecendo um serviço de qualidade e com toda a segurança necessária. Desde os recursos básicos para realizar as visitas turísticas, os hotéis selecionados e os guias envolvidos nos programas, tudo com muita qualidade.
Chegando ao Tibet, eu tive um problema de saúde e fui devidamente assessorada pelo guia que estava me atendendo, o que me deixou muito grata.
Recomendo a Rotas do Vento, esses destinos e as mesmas operadoras locais, com a certeza de que podem garantir uma viagem extraordinária!

Março 1, 2017

Fernando Costa, Lisboa

Solo Traveller

Muito bom, pronto para outra!

Setembro 2, 2013
123
Subscreva a Newsletter Rotas do VentoDescubra novas oportunidades de viagem!